ONG Cão Viver
DeizeSilvioSimoneFalcão
Nossos Parceiros

Pedrita

Amiga e brincalhona!
Publicado em 26 de fevereiro de 2014
Idade Sexo Pelagem Porte
5 anos Fêmea Curta Médio

Informação

pedrita02   

“Quando faço carinho no meu cachorro, sei que ele não
se pergunta o porque estou fazendo, simplesmente aceita.”
(Layla Peres)

 

Mestiça de pit bull
Temperamento: comporta-se bem apenas com humanos.

     “Olá, sou a Pedrita. Por favor, não tenha medo de mim, tanta gente olha pra mim com medo, tanta gente tem medo de mim, tanta gente já gritou comigo e já me fez brigar com outros cães. Já me fizeram machucar muitos, e já me machuquei bastante também. Mas me trouxeram aqui pra Cão Viver, e eu aprendi o que é carinho; descobri que um colo é muito bom. Vem me conhecer. Vem brincar comigo?” [Pedrita]

     A Pedrita é uma mestiça de Pit Bull. Só de olharmos seu corpo, conseguimos imaginar seu passado, inclusive uma de suas orelhas, que foi perdida em uma rinha. Apesar de não conseguir se adaptar com outros animais, é extremamente dócil e aprendeu que conviver com humanos do bem é uma coisa boa. O pré-conceito violento da raça Pit Bull foi criado por donos irresponsáveis, que transformam seus animais em seres extremamente violentos e são incapazes de pensar nas consequências. A Pedrita foi uma sobrevivente. As marcas em seu corpo? Para você, futuro adotante, se lembrar todos os dias de que essa lindona precisa de um lar com muito amor, muito espaço, e muita atenção. O sofrimento está em seu olhar, em sua alma, mas com a sua ajuda, ela será capaz de esquecer tudo isso. A Pedrita é muito amiga, extremamente brincalhona, adora um chamego, um carinho.

     Ela estrelou no calendário 2014 da Max. Graças a sua beleza e a sua história, ela venceu o concurso meu amigo é o maximo 2, ganhando, para o abrigo e seus amiguinhos peludos, 1 tonelada de ração.
calendario_pedrita_setembro

Metade
Que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio;
[…]
Porque metade de mim é o que eu grito,
Mas a outra metade é silêncio…
[…]
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço;
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada;
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão…
[…]
Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo
Se torne ao menos suportável;
[…]
Porque metade de mim é a lembrança do que fui,
A outra metade eu não sei…
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito
[…]
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço…
[…]
Porque metade de mim é amor
E a outra metade… também.
[Oswaldo Montenegro]

 


Pedrita foi apadrinhada por:
• Alexandre Andrade
• Janaina de Moraes
• Roberta Alves


A Adoção

     A maioria das adoções nos passam o sentimento de reencontro. Geralmente é amor a primeira vista. Já vimos cachorros bravos, que avançavam em todo mundo, ao ver o adotante pela primeira vez, se jogar em seu colo. A vida é assim mesmo e pra cada peludinho abandonado por aí, existe um dono a sua procura. A Cão Viver linka essas pessoas, agenda esses encontros e reencontros.

     Assim foi com a nossa campeã Pedrita. Abaixo, segue o depoimento do Francisco, novo tudo dela. É emocionante.


Desde que me divorciei e minha ex levou a boxer que tínhamos juntos, pensava em adotar um(a) cachorrinho(a). Quando finalmente me dei um ultimato, recebi boas referências da Cão Viver, e decidi que seria com vocês. Já havia visto vários cães no site, mas a Pedrita que mais havia me chamado a atenção, pois pela cara já percebi que tinha algo de pitbull nela. Eu havia inclusive olhado sites de resgate especificamente de pitbulls, por saber que eles sofrem preconceito e são de adoção difícil. No entanto, eu pensava em fazer isso mais pra frente, quando tivesse mais experiência, já que a Leia, boxer, foi o primeiro cachorro que tive. Mesmo gostando de ler sobre psicologia canina, e sendo paciente, disciplinado, carinhoso e respeitoso, achava que ainda não era a hora, pois se errasse, estaria lidando com um cachorro muito forte.

     Quando cheguei à sede, falei com a Denise que não queria filhotes, por saber que eles são mais procurados, e que queria um(a) cachorro(a) com um nível de energia que pudesse suprir. Meu objetivo era ajudar, mas dentro do que eu pudesse ajudar. Ela me mostrou alguns, e me simpatizei com todos, mas nada que chamasse tanto a minha atenção. Mas em determinado momento, uma funcionária que tinha medo de entrar no cantinho da Pedrita pediu à Denise que ela buscasse algo lá. Pedi para ir junto. Ela foi me explicando que ela havia sido usada em rinhas, e que não se dava bem com outros cachorros e por isso ficava isolada. Ao entrar, me deparei com uma linda gorduchinha, que logo de cara já sentou, e bateu a patinha na minha perna. Logo depois, me mostrou a barriga, em sinal de submissão. Ao saber mais sobre a triste história dela, não quis nem ver o resto: decidi que era ela.

     “Ele vai levar a Pedrita?!” era o que eu mais ouvia. Cada vez que escutava, tinha mais certeza que era ela mesmo que eu tinha que adotar. Ela estava na ONG há bastante tempo, já estava velhinha (estima-se algo entre 4 e 8 anos), e ainda tinha o preconceito com a raça. Ela preencheu perfeitamente o que eu mais desejava: proporcionar um resto de vida digno a algum cachorro que tivesse sofrido muito. Peguei o e-mail na ficha da Pedrita e entrei em contato com a Tatiana, que foi quem a resgatou à beira da morte, no passeio do vizinho, para saber um pouco mais. Ela deve ter sido usada em rinhas e, ao se machucar muito, foi largada para morrer em um canto qualquer.

     Ao chegar, fui dar um banho, com focinheira. Fiquei com medo de tocar em alguma parte sensível, que tivesse sido machucada, e ela se irritar, mas me surpreendeu com sua docilidade. Logo vi que a focinheira era totalmente desnecessária. Ela está se adaptando muito bem no meu apartamento. Nos primeiros dias, é claro, fez xixi e cocô na sala, no corredor, em qualquer lugar menos no jornal que eu deixei na área. Mas graças ao reforço positivo, ela já está aprendendo direitinho. Inclusive, enquanto escrevia este texto, ela fez xixi no jornal. Difícil mesmo é ensinar filhote! Os cães mais velhos aprendem muito rápido. Ela já abana o rabo quando eu chego em casa, e não sai do meu lado hora nenhuma. Aproveitei o feriado e meus horários flexíveis (atualmente dou aula particular de inglês), e estou passeando com ela em torno de quatro vezes ao dia, bem devagar para não cansar. Segundo a veterinária, ela está 10kg acima do peso (pesando atualmente 27kg). Por isso, está comendo ração light na medida exata recomendada e fazendo exercício leve com frequência, dentro do que dá conta.

     Até agora foram só quatro dias, mas ela já se acostumou com o apartamento. Já tem uns cantinhos preferidos e, por estar velhinha e gordinha, passa a maior parte do tempo dormindo – sempre o mais próximo que pode de mim.

     Ela foi um grande achado. Fico muito feliz em saber que posso proporcionar o carinho e respeito que ela merece depois de tudo o que passou. Isso está me proporcionando muita paz e tranquilidade. Obrigado à Tatiana Mieko, que salvou a vida dela, e obrigado a todos vocês da Cão Viver por terem cuidado bem da Pedrita enquanto eu não aparecia.

     Francisco e Pedrita

     

     Francisco, nosso agradecimento, de coração, pela sua linda atitude.  Você veio com o intuito de salvar uma vida e pode ter certeza que o fez. Adotantes como você são muito especiais.
     Vendo as fotos, todos temos certeza de que ela está feliz e tranquila na sua casa e isso é o melhor presente que podemos ganhar.

     Pedrita, você marcou cada pessoa que te conheceu no abrigo, desde tratadores/ voluntários aos visitantes. Desejamos a você saúde e toda felicidade do mundo.

pedrita_adotada03 pedrita_adotada01 pedrita_adotada02  
Share

Não compre animais, adote!

Rua 1º de Maio, 165 - Bairro Vila Boa Vista - CEP: 32.186-429 - Contagem / MG
Visitas e adoções: 3ª a 6ª, das 14h às 16h (consulte documentos necessários); sábado, das 13h às 16h / Consulta - R$82,00: 2ª a sábado, das 8h às 16h (por ordem de chegada).

2D Comunicação Impressa e Digital